Como podemos identificar malformações ainda no pré-natal?

Medicina Fetal é uma subespecialidade da Obstetrícia que visa o acompanhamento detalhado da gestação, desde o rastreamento de malformações fetais, síndromes ou cromossomopatias até o momento oportuno para o parto diante das particularidades da gravidez.

O principal método de rastreamento pré-natal é a ultrassonografia morfológica de 1o trimestre (entre 11 e 13 semanas e 6 dias) e de 2o trimestre (entre 20 e 24 semanas).

No trimestre, o objetivo é o rastreamento de cromossomopatias através da medida da translucência nucal, ducto venoso e osso nasal. É importante ainda a realização do ecodoppler de artérias uterinas nesta fase como rastreamento de pré-eclâmpsia (hipertensão na gravidez) e crescimento intrauterino restrito do feto.

No 2º trimestre, a ecografia tem por objetivo avaliar anatomia fetal. Nesta fase, a maior parte dos órgãos já estão formados, além de membros e ossos e serão minuciosamente analisados neste exame. Outro complemento importante dessa avaliação é a ecografia transvaginal para medida do colo uterino, como rastreamento de ameaça de parto prematuro e incompetência istmocervical (colo incompetente).

As principais anomalias fetais tanto estruturais como cromossômicas são:

  •  Síndrome de Down (trissomia do cromossomo 21)
  •  Anencefalia
  •  Fissura labial
  • Hérnia diafragmática (defeito de formação do diafragma, que separa o tórax do abdome)
  • Gastrosquise (defeito de fechamento da parede abdominal fetal)
  •  Pé torto congênito
  • Dentre outros.

Se algo suspeito é rastreado na ecografia morfológica, podem ser solicitados exames realizados por procedimentos invasivos e não-invasivos para diagnóstico definitivo.

O ecocardiograma fetal é um importante exame para o rastreamento de malformações cardíacas congênitas. Deve ser realizado, preferencialmente, entre 26 e 32 semanas.

A Medicina Fetal abrange o complexo desenvolvimento fetal relacionando-o ao período gestacional, fatores de risco maternos e outros dados relevantes, buscando sempre o bem-estar do binômio mãe e bebê. Requer cautela e habilidade no rastreamento, diagnóstico, aconselhamento e tratamento em cada caso individualmente. Procure um obstetra especializado.

Dra. Cybelle Bertoldo | Ginecologista e Obstetra